quarta-feira, 24 de novembro de 2010

L'esprit de l'escalier


No meio do caminho, providencialmente, me deparo com 2 garrafas de cerveja vazias. Enquanto, com um chute, vejo as duas virarem cacos de encontro ao muro, penso que poderia ter dito algo diferente, algo que fizesse sentido. Poderia ter dito que, mesmo tendo visto de longe, pelo (belo) andar sabia que você estava de salto alto. Poderia ter dito que, apesar da distância, eu pude contar cada movimento do vestido enquanto você ia embora.
Passam-se 15 segundos até que eu te perca de vista. Passam-se 4 no ônibus enquanto penso/decido/me movo em direção à porta e desço. Passam-se 2 segundos e um vôo de garrafas enquanto penso nisso tudo. 
E dias, dias enquanto remôo seu olhar (tentando ser) distante, sua voz (querendo ser) fria e seus olhos, tentando não derramar as lágrimas que já os deixou vermelhos. Dias.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Hein?

Quando algumas palavras específicas são ditas, devido à maneira e contexto em que aparecem, acredito que é, sim, necessário ouvir.
Mas ouvir é dificil: confesso não ter o hábito - mesmo quando falam diretamento comigo. Ressalto que não possuo ouvidos de mercador - tanto pq sou um péssimo negociante.
Então, ando por aí, cego e surdo, a não ser em relação à minha própria loucura.
(e não tem foto neste e nem no anterior, fodam-se....)